Sexta-feira, 27 de Julho de 2012

Don´t leave me...

 

A tua ausência invade minha alma…e agora sei que o teu nome é…Solidão!

E dentro dela, o silêncio que cala tua voz, enche o vazio com palavras esquecidas…

Não me deixes só…

 

 


Segredo de... Fátima às 17:33
| Comenta... | ver comentários (1)
Sábado, 21 de Abril de 2012

Cabreiro...Junto ao rio...

 

Por vezes, os pensamentos são assim mesmo…parecendo um muro feito de pedras encaixadas umas nas outras… Umas, alisadas pelas memorias esquecidas num tempo tão antigo que quase já não lembramos… e outras, com tamanhos variados, cada qual com seu peso em nossa vida… Empilhadas ao acaso das lembranças, das lágrimas e dos sorrisos… Pedras que o tempo vai enfeitando de nostalgia ao longo dos anos…

 


Segredo de... Fátima às 21:53
| Comenta... | ver comentários (1)
Quarta-feira, 14 de Março de 2012

Corando...

Visto-me de vermelho, deixando minha pele corada, nas horas em que te invento nas minhas emoções.

Solto as amarras do desejo e, como barco seguindo o curso de um rio onde o sangue vai fervendo numa explosão de sentidos,

navego pelas margens do corpo…

 


Segredo de... Fátima às 15:39
| Comenta... | ver comentários (2)
Quinta-feira, 8 de Março de 2012

Para as mulheres que fazem parte da minha vida, da minha alma e do mundo inteiro...


Segredo de... Fátima às 10:51
| Comenta... | ver comentários (1)
Quinta-feira, 2 de Fevereiro de 2012

Timidez...

 

Invento-te num sonho só meu e sem pudor, desvendo-te os segredos que minha alma ainda encerra… Mostro-te sem rodeios os desejos sentidos, expostos nos arrepios que só teu olhar consegue provocar. Seguindo sem medo, as estradas traçadas na pele para te levar ao mais infinito sentido de prazer…

 

Dispo-me das incertezas para abraçar a cor da paixão que me envolve o corpo com seu manto quente, feito de vontades urgentes. E em gestos inquietos, guio-te nesse fogo que me queima por dentro…

 

Revelo-te na minha nudez, o desejo da entrega que me assalta como uma tempestade e num último esgar de lucidez, diante desta loucura que é amar-te, transparece toda a timidez deste meu ser!


Segredo de... Fátima às 09:32
| Comenta... | ver comentários (1)
Quinta-feira, 1 de Dezembro de 2011

...

 

 

“Soul meets soul on lovers` lips…”

<Percy Bysshe Shelley>


Segredo de... Fátima às 22:11
| Comenta...
Sexta-feira, 28 de Outubro de 2011

Quantas vezes...

 

Quantas vezes imaginei-te nas minhas horas vazias, em que tu chegavas de mansinho e sem uma palavra, concedias-me um tempo no paraíso dos sentidos…Fechava os olhos para melhor sentir tuas mãos presas nas minhas, arrepiando minha pele como uma onda de agua salgada…Apertava meus braços contra ao peito, num abraço quente em que me prendias com força, onde me senti segura e protegida…

 

Quantas vezes ouvi-te no silencio que se fazia, o som da tua voz calada em meus ouvidos, murmurando palavras sem nexo mas que em cada suspiro, fazia estremecer todo o meu ser num grito abafado de tanto te querer…E sentia-me embalada pelos lábios húmidos que beijavam os meus com pressa de provar…

 

Quantas vezes, depois de a noite silenciar o dia, vinhas vestido de escuridão e ocupavas todo o espaço a minha volta, deixando-me despida ao teu olhar, com a alma aberta aos teus sentidos, o corpo ao teu desejo, o coração ao teu carinho….

 

E tantas vezes, guiada pelas emoções, escondida dos caminhos da vida, me perdi nessas horas vazias, apenas inventando-te em cada segundo…em cada emoção, em cada desejo…Tracei linhas imaginadas pelo teu corpo ausente…escrevi rimas de loucuras no incêndio da pele que não tocavas…saciei a sede dos beijos nos lábios áridos sem a suave humidade dos teus…

 

Quantas vezes pintei uma tela onde todos os sentidos se conjugavam num só…e tantas vezes fugi dele para não sentir a dor de ver o dia nascer e perder-te nos raios de sol que inevitavelmente viriam buscar-te a minha ilusão, dessa noite perfeita…

 

Tantas vezes, foste apenas meu…

 


Segredo de... Fátima às 17:10
| Comenta... | ver comentários (2)
Quinta-feira, 27 de Outubro de 2011

Beijo teu...

 

 

Deixa-me tocar de leve teus lábios com os meus...Porque hoje sinto falta de um beijo que seja assim como o teu...Com sabor à suave nostalgia do Outono, o calor de um dia de verão e com um pequeno arrepio que percorre a alma como nos dias frios de inverno...Hoje preciso da doçura dos teus lábios quando dizem palavras ternas de um carinho muito teu...

 

Deixa-me tocar de leve teus lábios...Porque hoje sinto falta do sabor dessa suave emoção que sempre prendeu meu coração, falta do toque delicado das sensações que fazem estremecer meu peito na doce saudade que é imaginar...O doce beijo que é o teu!


Segredo de... Fátima às 10:40
| Comenta...
Domingo, 4 de Setembro de 2011

Imperfeita...

 

Foram tantos, os quadros que pintei nos sonhos murmurados no silêncio do meu pensamento.

As cores nasciam ao ritmo imposto pelos teus dedos que tantas vezes seguiram a imperfeição das minhas linhas.

Quantas vezes as palavras criaram as emoções de um sentimento maior…

As noites transformavam-se em pequenos mundos onde só tu podias entrar na imperfeição deste ser….

Os dias tinham a mesma luz com a qual captavas a beleza daquilo que te rodeava… e deste-me parte dessa perfeição que sempre existiu em teu olhar…

Não soube ser perfeita na minha imperfeição e muitas telas, ficaram por contar…e outras, por pintar…

 


Segredo de... Fátima às 11:35
| Comenta... | ver comentários (2)
Sexta-feira, 19 de Agosto de 2011

Saudade...

 

O que sonhas?...perguntaram numa tentativa de entender... Sonho com o beijo do mar, com o toque da alma, com o bem-querer de quem não quer...respondeu sem querer entrar em pormenores...Ficaram em silêncio, pensando na resposta...e numa ultima tentativa de chegar perto daquele ser misterioso voltaram a perguntar: Quem é ele? E uma lágrima beijou seus lábios quando ela  disse num leve suspiro...

...minha saudade...!

 


Segredo de... Fátima às 15:07
| Comenta... | ver comentários (1)
Quinta-feira, 4 de Agosto de 2011

Raio de sol...

 

O dia amanheceu com um céu coberto de nuvens. Cheira a nostalgia e pede o mesmo aconchego que um dia triste de Outono… De vez enquando, um raio de sol mais teimoso, ilumina o cinza com que se vestiu também, minha alma…

No pensamento, as cores de outros dias, pintam telas imaginadas. Momentos sonhados ao ritmo de uma ilusão que se repetiu vezes sem conta nas horas vazias em que o coração batia devagarinho…

 

Olhando o horizonte limitado pela realidade, pergunto-me se o céu irá chorar suas lágrimas de chuva… Talvez sejam as gotas salgadas que nascem no rio do meu desassossego, as únicas a caírem…

E um vento de saudade traz de volta um tempo em que os sorrisos transformavam as noites frias em histórias de encantar e os dias em contos de fadas…

 

Mas o pequeno raio de sol vai brincando as escondidas entre as nuvens, trazendo luz ao sorriso triste que nasce neste dia cinzento que lembra um Outono passado…

 


Segredo de... Fátima às 09:18
| Comenta... | ver comentários (2)
Sexta-feira, 29 de Julho de 2011

Imperfeições...

 

 

Percorri as linhas imperfeitas do meu ser, inventando sorrisos nas pontas dos dedos…

Encontrei o que não queria mostrar…O que não queria ver…

Descobri numa alma quebrada nas cicatrizes sulcadas pelos medos…

 

Tanta historia que eu inventei, pintando com palavras coloridas,

As telas de emoções que senti e as que sonhei …

Com as cores do arco-íris disfarcei e escondi feridas…

 

Mas o sonho acordou e com toda a clareza pude enfim ver…

Que as historias nascidas em mim, são desejos apenas meus…

Tatuados na imperfeição do meu ser…


Segredo de... Fátima às 16:17
| Comenta...
Segunda-feira, 18 de Julho de 2011

Meu arco-íris...

 

 

E a alma vestiu-se com as cores do arco-íris,

pintando na tela das emoções que despertam,

todos os sentidos do meu bem-querer...


Segredo de... Fátima às 18:04
| Comenta...
Quarta-feira, 13 de Julho de 2011

For you...

 

Não há dádiva maior do que a entrega do coração…


Segredo de... Fátima às 08:43
| Comenta... | ver comentários (1)
Quinta-feira, 12 de Maio de 2011

Meu despertar...

 

Já estava a dormir há muito, embalada por algum sonho ou simplesmente reconfortada no esquecimento das horas que passam e nada se sente. Não apetecia despertar desse mundo que nos aconchega a alma cansada.
 
Senti-te junto aos meus pés. Deixas-te me inquieta mas recusei abrir os olhos e com a preguiça, nem sequer me mexi. Foste subindo devagarinho como quem tem medo de ver o caminho interrompido. Subindo pelas minhas pernas, acariciando-as muito devagarinho conforme te ias aproximando, foste aconchegar-te bem no meio das minhas coxas. Eu sei o quanto tu gostas de permanecer por aí e por isso fiquei quieta, e apesar de não querer, deixei-te ficar entre minhas pernas.
 
O mundo pareceu-me ter desaparecido e quando senti meu corpo relaxar e de novo ficar embalado pela serenidade do sono, resolveste subir um pouco mais. Arrepiei-me ao sentir teu corpo contra minha pele nua. Sentia a pressão que exercias na minha barriga e senti vontade de resmungar. Mexi-me um pouco para te mostrar meu desagrado e ouvi o murmurio da minha voz ensonada reclamar. Não reagiste a minha intenção de te fazer parar e foste subindo mais um pouco...
 
Senti teu cheiro invadir-me os sentidos e fiquei logo com comichão. Tua respiração junto ao meu rosto e aquele som que desmontra o quanto gostas de mim e o quanto estás a gostar deixou-me um pouco irritada e minha vontade era gritar:pára!!!
 
Fui virando o rosto para um lado e para o outro para evitar tuas demonstrações de carinho mas tu não desistias. Sabias que essa era hora certa e não ias desistir de mim.
 
Gemi baixinho quando me mordeste o queixo e resmungando do peso que fazias em cima dos meus seios, do teu halito junto do meu nariz e da comichão que me provocavas, levantei-me zangada deixando-te ali, no calor da cama, olhando fixamente para mim...
 
Pode o despertador não tocar mas na hora certa, minha gata faz com que eu me levanto para um novo dia...
 
Adoro-te minha Kika.

 


Segredo de... Fátima às 09:38
| Comenta... | ver comentários (1)
Domingo, 24 de Abril de 2011

Adeus mano...

 

Hoje era dia de alegria, e em vez do teu sorriso, deixaste-nos lagrimas... Devia ser dia de mesa farta, de amendoas coloridas...apenas tivemos a dor de te perder...

Mas as festas são apenas dias entre muitos outros dias e nós tivemos a sorte de te ter conosco todos os dias da tua vida...

És pedaço da minha alma meu irmão, e enquanto eu viver, também tu viverás em meu coração...

Que Deus te embale em seus braços...
Amo-te mano...

 


Segredo de... Fátima às 23:57
| Comenta... | ver comentários (4)
Segunda-feira, 11 de Abril de 2011

...

 

 

Entre o céu e o mar, meu mundo naufraga...


Segredo de... Fátima às 22:23
| Comenta... | ver comentários (2)
Segunda-feira, 14 de Fevereiro de 2011

Porque hoje é dia dos namorados...

 

 

O coração bate devagarinho ao contrario do que deveria ser. Sempre ouvi dizer e até li em muitos sitios, que o coração fica mais accelerado, que bate descompassado, perdendo até o ritmo e chegando mesmo a parar por um segundo. O meu bate simplesmente devagarinho, sem pressa, ritmado e compassado...batendo uma melodia suave que me embala os sentidos...um slow...é isso...parece dançar um slow...

 

O meu coração é engraçado nas suas mil definições. Perde-se em pensamentos quase sempre enigmas do próprio sentir! Já muitas vezes tentei estudar suas batidas e sempre que estive quase a desvendar seu mistério, ele encheu meu peito e mudou o ritmo como que empurrado por uma ventania qualquer. Há dias que bate mais para um lado do que o outro. Para a esquerda, deixa-me tonta e perdida em emoções que se atropelam e toldam o raciocino, fazendo cada tentativa de interpretação uma teia de aranha impossível de penetrar. Depois há aqueles dias que bate a direita do peito e que se torna um coração disciplinado e muito controlado em que a única emoção a descobrir é a paz sentida...

 

Falar do meu coração é quase entrar na biografia do sentimento...e que complicado é conhecer o sentimento. Nasceu algures num ano qualquer, viveu no tempo sem perder tempo, descobriu muitos sentidos, esqueceu alguns, aprendeu outros e quer descobrir mais... Abriu portas a vida e deixou que a vida o fizesse bater... Bateu rapido em sorrisos e quase parou em lagrimas vertidas... Um dia há-de parar e não querendo o esforço que é de novo lutar, há-de adormecer e para sempre repousar...

 

Um dia, não lembro bem qual, começou a bater de um forma diferente, um compasso até aí desconhecido. A nova melodia deixou-me intrigada e resolvi procurar onde estava o erro. Descobri que, ao contrario do que pensava, não tinha perdido qualquer batida. Sempre soube que os corações quebram-se e perdem algumas batidas ficando feridos e que por isso nunca mais encontram o ritmo certo, ou o mesmo ritmo de outrora. Este coração mostrou-me que não tinha perdido uma batida...bem pelo contrario...tinha juntado uma nova tornando o compasso mais alegre, mais ritmado, como o mar sereno em noite de luar...

 

Meu coração ama a vida e tudo o que faz parte dela... Ama as pessoas que conseguem tocá-lo nas muitas maneiras possiveis... É um coração compassado que bate ao ritmo das emoções...ao ritmo daqueles que ama...porque foi isso que eu descobri nas minhas varias explorações ao intimo deste coração que bate no meu peito... Bate assim, do seu jeito tranquilo ou apressado, porque tem no ritmo e as batidas de outro coração...

 

Meu coração é apenas um coração apaixonado.

 


Segredo de... Fátima às 09:33
| Comenta... | ver comentários (1)
Segunda-feira, 31 de Janeiro de 2011

Meu Domingo...

 

O rio corria tranquilo no seu leito, sem pressa de chegar ao seu destino. Um bando de patos bravos sobrevoavam suas aguas formando no céu figuras estranhas para depois mergulharem em busca de alguma comida. O sol estava bem lá no alto, fazendo o rio brilhar como diamante. Um barco Rabelo atreveu-se a quebrar a quietude das aguas e pintou o rio com uma nostalgia antiga...
O dia estava colorido!!
 
Muita gente caminhava pela marginal. Vestidos com seus fatos domingueiros, os homens pareciam cavalheiros de outrora com as Damas agarradas nos seus braços...talvez com medo de tropeçar de alto dos seus saltos... Perguntei-me como eram capaz de andar assim... Mas formavam um quadro bonito e delicado frente ao rio que parecia apreciar cada uma delas... Havia também quem passasse por mim a correr. Alguém passou ligeiro, apenas de calção e fez minha pele arrepiar-se...
O dia estava frio!!
 
Junto ao paredão, alguns pescadores dormiam, aquecido pelo sol que os obrigava a fechar os olhos... Com as canas a jeito, e o isco pronto a ser mordido, pareciam estatuas colocadas estrategicamente pela marginal... Olhando para eles, senti que o rio olhava para eles com carinho... Eram sua companhia habitual e em jeito de agradecimento, de vez enquando empurrava um peixe para junto deles...
O dia estava lindo!!
 
Mães passeavam seus filhos em pequenos carinhos, ostentando com orgulho o facto de serem mães... Acho que até pareciam mais altas... Outras, com crianças maiores e mais traquinas, deixavam-nos correr e saltar. Só uma criança tem a capacidade de ser livre como o vento e só ela consegue destabilizar o silêncio em que apenas o rio canta... O gritos deles provocavam a debandada de pombos e gaivotas e o céu enchia-se de vida num esvoaçar de asas...
O dia cantava!!
 
Os bancos estavam ocupados por gente cansada de caminhar e que procurava restabelecer o ritma cardíaco antes de recomeçar o passeio. Alguns tinham a honra de albergar namorados que sem pudor, beijavam-se e trocavam juras de amor, outros, apenas ouviam o silêncio de alguém que lia um livro há muito escolhido. Havia um senhor de uma certa idade, que me pareceu, lia poesia...
O dia era poema!!
 
Foi assim meu Domingo... Um passeio junto ao Douro, indo da Foz até a Alfandega do Porto. Um passei que pintou minha alma de luz, cor e som...
Um dia simplesmente perfeito!!

 


Segredo de... Fátima às 10:10
| Comenta... | ver comentários (1)
Terça-feira, 12 de Outubro de 2010

Lágrimas de Seda!

 

Aqui neste espaço

onde verti lágrimas

nada perdi,

lutei, venci, ganhei

ganhei a vida que era minha

o sorriso que era meu

venci a tristeza

voei quando te encontrei

beijei o reflexo

que deixaste em mim

jamais o meu pranto será em vão

chorarei junto ao teu coração

em passos de seda rumo, sem parar

com receio de te conhecer

sem te encontrar

 

António Madureira (www. maresia-tua.blogspot.com)

 

Obrigada meu amigo pelo carinho e por este poema lindo.


Segredo de... Fátima às 21:37
| Comenta... | ver comentários (2)
Domingo, 3 de Outubro de 2010

Outono...alma minha!

 

As janelas da alma abriram-se para receber o Outono e respirar o cheiro da chuva que hoje caiu num pranto. A natureza lava-se das impurezas nas aguas que correm velozes rumo ao mar. Desta vez não sou barco pronto a naufragar... Lançei as ancoras e agarrei-me a vida!

 

As folhas de cores quentes, pintadas por dias de tristezas navegaram pelos pequenos rios formados juntos aos passeios. Corriam ligeiras, levadas pela força do vento que cantava bem alto tocando uma melodia nos cabos de alta tensão... Meu coração cantou ao mesmo ritmo e minhas tristezas foram  levadas pelas folhas caídas...

 

Sinto-me livre como as rajada de vento... viva nas cores deste Outono que sempre foi meu.

 

E o Outono instala-se na alma de janelas abertas e sopra ventos de vida...

 

E feliz, volto a juntar os pedaços desta alma que tanto lutou e por fim...venceu!!


Segredo de... Fátima às 21:57
| Comenta... | ver comentários (5)
Segunda-feira, 20 de Setembro de 2010

Quem me dera...

 

Quem me dera encontrar as palavras ainda não ditas...

Palavras beijos para depositar em teus labios...

Ou aquelas que cantam melodias com as batidas do coração...

Algumas que sejam sorrisos para te iluminar a alma...

Talvez aquelas que não são mais que o silencio...

Palavras sem sentido que te despertem emoções...

Ou ainda umas pequenas que cabem direitinho no teu coração...

Se calhar apenas uma que diga tudo...

Ou mil que sejam caminho...

Palavras abraço para te prender...

Salgadas como o mar e de uma lagrima...

Mas doces como a ternura de uma criança...

Palavras infinitas...

Quem me dera encontrar as palavras que te digam o que sinto...

 


Segredo de... Fátima às 21:51
| Comenta... | ver comentários (4)
Quarta-feira, 8 de Setembro de 2010

Apenas um sonho...

 

Era dia de festa.  A casa estava animada. Muitos risos sobrepunham as conversas tidas em voz alta. Não sei qual era o motivo de tanta comemoração nem quem era aquela gente toda. Reconhecia o lugar e parecia-me pequeno demais para conter tanta gente. Alguns rostos foram surgindo, e resconheci aqueles que fazem parte de minha vida. Toda a gente estava feliz e acho que eu também sorria e mesmo sem saber a razão, sentia-me bem...

 

Estavas encostado a porta que dava para o quarto onde já estava muita gente a fazer não sei bem o quê e também sorrias. Não eras como me lembrava mas reconheci-te logo de outros tempos. Tua presença imponente parecia encher o espaço. Em teu olhar brilhava um sorriso, talvez por  sentir tanta alegria a tua volta. Não sei como apareceste ali nem sequer porque te teriam convidado...se é que o fizeram...tinha minhas duvidas...

 

Foste conversando com as pessoas a tua volta e tive a sensação que pertencias aquele meu mundo.  Aproximei-me de ti e envolveste-me num abraço forte...daqueles que damos quando nos despedimos ou quando a saudade é tão grande que temos medo de ver partir outra vez a pessoa que abraçamos... Parecias um gigante...não te imaginava tão alto... Teus olhos tinha a mesma doçura que sempre encontrei neles... Não dissemos nada...Como poderiamos dizer seja o que for se sempre foi o silencio que partilhamos?!...

 

Os sons foram dimuindo e deixei de ouvir os risos. A casa que tão bem conheço deu lugar a um espaço aberto que não reconheci... Havia o céu azul e relva muita verde... Sempre te imaginei com as cores quentes de um Outono mas parece que até aqui, as tuas cores predominam... Segui-te,  sem nunca conseguir alcançar-te. Sentia uma força estranha que me obrigava a continuar...

 

O abismo abriu-se a minha frente e lá no fundo estavas tu, ainda sorrindo e com a mão estendida...estavas a minha espera... Parado diante de um portão enorme que não dava para lugar algum. Sentia-me tranquila, sem medo... Lancei-me no vazio sem sequer pensar ... Parecia um salto infinito no vazio mas que me levava até ti. Tinha a sensação de voar, levada por alguma brisa ligeira, mas essa soprou com mais força e levou-me mais além...  Precisei de todas as minhas forças para voltar atrás. senti uma dor incrivel nessa luta contra o vento. Parecia uma folha rodopiando em sentido contrario a força do vento, mas precisava lutar com mais forças ainda para não seguir para longe de ti...queria tanto alcançar-te...

A dor era muito grande mas não desisti, alimentada por esse sorriso que tudo iluminava e pela mão estendida que tanto queri apertar... O vento parou, e finalmente caí desemparada rumo ao chão... Senti que iria morrer...

 

Mas ao tocar o chão, meu coração disparou e acordei desse sonho. Nunca saberei se cheguei a tocar tua mão, nem porque me chamavas para junto de ti...

 

Procurei o significado deste sonho, mas nada do que li me ajudou a entender... A minha propria interpretação, é que a saudade  pode ser uma dor que nunca tem fim...

 


Segredo de... Fátima às 09:28
| Comenta... | ver comentários (3)
Sexta-feira, 3 de Setembro de 2010

Fada...

 

No meu tempo chamaram-me muitas coisas: irmã, amante, sacerdotisa, maga, rainha.

Agora, em verdade, acabei por me tornar uma maga, e pode vir um tempo em que estas coisas precisem de ser conhecidas.

Mas em perfeita verdade, penso que serão os cristãos a ter a última palavra.

O mundo das Fadas está a afastar-se do mundo em que o Cristo governa.

Não tenho nada contra Cristo, apenas contra os seus sacerdotes que chamam à Grande Deusa um demónio e negam que ela alguma vez tenha tido poder neste mundo.

Dizem que, no máximo, o poder dela era o de Satanás.

Ou então vestem-na com o manto azul da Senhora de Nazaré- que, de facto, à sua maneira teve poder- e dizem que foi sempre virgem.

Mas o que é que uma virgem pode saber da labuta e dos sofrimentos da humanidade?

( Marion Zimmer Bradley )

 


Segredo de... Fátima às 00:46
| Comenta... | ver comentários (1)
Domingo, 29 de Agosto de 2010

Deus, cuida de mim...

 

 

No teu abraço sempre estive segura...protegida...

Em minha alma guardo tua essência e todo o amor com que me abençoaste...

Estás em cada batida deste pobre coração no qual sopraste o ar da vida...

No pensamento, mesmo sem saber como fazer, nasce uma prece...

Na minha voz onde fala toda a tua doçura...

 

Deus, cuida de mim...

 


Segredo de... Fátima às 22:49
| Comenta... | ver comentários (1)

Meu Deus

Meu Deus, me dê a coragem
de viver trezentos e sessenta e cinco dias e noites,
todos vazios de Tua presença.
Me dê a coragem de considerar esse vazio
como uma plenitude.
Faça com que eu seja a Tua amante humilde,
entrelaçada a Ti em êxtase.
Faça com que eu possa falar
com este vazio tremendo
e receber como resposta
o amor materno que nutre e embala.
Faça com que eu tenha a coragem de Te amar,
sem odiar as Tuas ofensas à minha alma e ao meu corpo.
Faça com que a solidão não me destrua.
Faça com que minha solidão me sirva de companhia.
Faça com que eu tenha a coragem de me enfrentar.
Faça com que eu saiba ficar com o nada
e mesmo assim me sentir
como se estivesse plena de tudo.
Receba em teus braços
meu PECADO DE PENSAR.

 

Clarice Lispector

 

 


Segredo de... Fátima às 22:44
| Comenta... | ver comentários (1)
Segunda-feira, 23 de Agosto de 2010

Devagarinho...

 

Devagarinho, palavra a palavra...Reinvento-me no livro da vida.

Solto o sentir nas paginas de cada dia, preenchendo os vazios deixados pela ausencia...

Pinto as cores que me vestem a alma, descobrindo em cada uma que ainda estou viva...

 

Devagarinho, palavra a palavra... Liberto-me do sono onde me escondi.

Mergulho no tempo que é tempo de viver e sinto o coração bater...

Vivo a vida que Deus me deu e pinto-a com as cores doces do meu sentir...

 

Devagarinho, dia a dia... Devagarinho, palavra a palavra... Devagarinho,escrevo minha vida...

 


Segredo de... Fátima às 11:48
| Comenta... | ver comentários (4)
Sexta-feira, 20 de Agosto de 2010

Nada como o tempo...

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com uma outra pessoa, você precisa, em primeiro lugar, não precisar dela.

Percebe também que aquele alguém que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente não é o "alguém" da sua vida.

Você aprende a gostar de você, a cuidar de você e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você.

O segredo é não correr atrás das borboletas... é cuidar do jardim para que elas venham até você.

No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!

 

Desconheço o autor.


Segredo de... Fátima às 10:55
| Comenta... | ver comentários (1)
Quarta-feira, 18 de Agosto de 2010

Homenagem...

 

Ardes num sofrimento lento que nos aperta a alma...

Chamas que devoram a beleza natural com que te vestes...

Fogo de gente insana que ateia o lume do odio...

Mas tu és como a Fenix que renasce das cinzas...

Vais voltar vestida de primavera, enfeitada de mil cores...

Deixo-te aqui, Mãe Natureza, minha homenagem...

 


Segredo de... Fátima às 22:14
| Comenta... | ver comentários (2)
Domingo, 15 de Agosto de 2010

Quero acreditar...

 

 

Faz-me acreditar...

Que ainda posso voar...


Segredo de... Fátima às 11:38
| Comenta... | ver comentários (4)
Segunda-feira, 9 de Agosto de 2010

Obrigada...

Pois é... 44... Duas cadeirinhas!!:-)

Confesso que chegar a festejar mais um aniversario, deixou-me muito feliz.

Os 43 foram pessimos...mas aprendi que tenho de viver os proximos com sorrisos e aproveitando ao maximo as pessoas que amo e as coisas bonitas que a vida me dá...

Por isso, aqui estou eu, pronto para enfrentar mais um ano de minha vida, sem deixar nada por dizer, nada por sentir e nada por fazer...

(pelo menos vou tentar!!:-))

Agradeço do fundo do coração a todos, familia e amigos, que me deram um beijo de carinho e fizeram questão de me mostrar o quanto sou querida.

Tornaram meu dia muito feliz e encheram-me a alma de luz e força para seguir em frente. Sem voçês, tudo seria muito mais dificil.

Obrigada de coração.

Fátima


Segredo de... Fátima às 00:07
| Comenta... | ver comentários (1)
Segunda-feira, 28 de Junho de 2010

Dor não...

 

Hoje não me falem de dor
Levantei as barreiras da razão
Defini as palavras proibidas
Dor, não!
Digam do tempo, da chuva ou da bruma
Talvez do frio das noites
No conforto das casas aquecidas
Digam do mar
Que repousa em cachos de espuma
Diz-me tu, da vida
Não da tua nem da minha
Da dos desconhecidos que se cruzam
Na margem paralela do caminho
Conta histórias de outros tempos
De dias por conhecer
Enche-me de palavras os ouvidos
Das que despertam os sentidos
Sem limites nesta rota de ilusão
Hoje, dor não!

 

(Desconheço o autor)

 


Segredo de... Fátima às 23:36
| Comenta... | ver comentários (2)
Sábado, 22 de Maio de 2010

Medo...

 

Tento disfarçar o medo num sorriso. Escondo a angustia nas palavras que se pronunciam cheias de certezas. Disfarço as batidas acelerradas do coração nos gestos calmos de quem parece ter vencido...

Não mostro aquilo o que me assusta mas o medo invade minha alma...

Terei ganho este batalha?

Em breve saberei quantas mais lutas me esperam... e sinto-me perdida...

Fátima


Segredo de... Fátima às 18:19
| Comenta... | ver comentários (2)
Quinta-feira, 15 de Abril de 2010

Voltei...

 

 

 

 

Já lá vão uns meses desde a minha última entrada aqui. Minha vontade de escrever desapareceu ao mesmo ritmo que minha vida foi se alterando. Mas hoje, por alguma razão que me ultrapassa, surgiu esse desejo. As palavras começam a fervilhar debaixo dos dedos após a visita á alguns blogs onde mostram sua força. Primeiro e porque me falta ainda a coragem, resolvi responder alguns emails pendentes há tanto tempo. Sei que tenho de usar a sinceridade e falar com os amigos sempre preocupados e que invadiram minha caixa de correio com a mesma pergunta:”que tens?” Pensei que se tivesse força em responder a pergunta colocada, também encontraria um jeito de estar aqui…e aqui estou…

Lá fora os trovões iluminam o céu e o barulho que se segue torna-se ensurdecedor… Chove copiosamente… Sempre gostei de trovoadas… Tenho medo sim, mas é um medo que consigo ultrapassar… Como sou capaz de ultrapassar este que se instalou na minha alma, no meu coração…no meu pensamento…

Ainda tinha esperanças que 2010 fosse um ano bom. Afinal gosto dos anos pares!!! Mas se 2009 acabou mal, este, em poucos meses já o ultrapassou…

Descobrir que tinha um Linfoma no pescoço foi um choque. Tive de passar por algumas fases até chegar ao veredicto. Foram dias de muito cansaço, muito desalento e muito, muito medo… Suspeitavam de um primário em algum sítio que não no pescoço e os exames foram sucedendo-se a um ritmo louco…Não tinha tempo para pensar…não tinha tempo para chorar…

Felizmente não se descobriu mais nenhum…

A primeira sessão de quimio fez meu mundo ruir. Só aí me dei conta que tinha um cancro e que tinha que o combater. Não havia por onde fugir. Tinha uma guerra pela frente e muitas batalhas para travar. E não tinha outra hipótese senão ganhar…

Chorei muito nesse dia e fiz chorar as pessoas que amo. Meu pequeno mundo fechou-se sobre mim como um manto protector. O abraço da minha família, o carinho dos meus amigos e até os mimos de desconhecidos, criaram um escudo que me afasta da tristeza. Sabia que estava em porto seguro. O amor vence tudo e eu tenho todo o amor do mundo.

Agora que chego ao fim deste meu texto, sei que é por eles que escrevo.

Por meu marido, meu apoio incondicional. Obrigada meu amor por ter sempre tua mão envolvendo a minha.

Ao meu filho que do seu jeito calado, mostra todo o seu carinho em pequenos mimos que me deixam sempre com a lágrima ao canto do olho…mas não é de tristeza meu filho…mas sim por te amar infinitamente.

A mana Lena que me acusa de ser mimada esquecendo que é dela que vem o maior mimo. Obrigada mana por tudo o que tens feito, tua paciência e teus cozinhados…

A mana São que nunca me deixa ir abaixo encontrando sempre um jeito de me mostrar que em meio as desgraças, há sempre um motivo para sorrir.

Aos meus meninos, Letícia, Patrícia e Hélder… Agora não vos posso dar beijinhos, mas todos os dias vos beijo com meu coração e com todo o meu amor.

A ti mano… que me obrigaste a descobrir o sabor das Mangas e das Papaias.

Mãe…palavras para quê?!! Estas aqui, comigo em todas as horas… Desculpa se te faço chorar…Mas prometo-te que vou vencer!

Palmira, obrigada por essa amizade tão bonita.

Aos meus amigos, sempre presentes… apesar de ausentes. aos que me escrevem e me fazem viajar por mundos diferentes… Não é Mafalda?!! E como é bom fugir de vez em quando nas palavras dos amigos… Obrigada a todos!

No fim, bastava apenas dizer que vos amo a todos…

 

Fátima

 

 

 


Segredo de... Fátima às 20:12
| Comenta... | ver comentários (20)
Terça-feira, 5 de Janeiro de 2010

Que seja um ano feliz...

 

 

 

 

 

 

Sei que nunca escrevi para ti...Que nunca parei um instante para pensar naquilo que realmente sinto. Julgamos sempre que tudo é tão certo, tão natural...que tudo nos pertence porque já é um dado adquirido... A vida tem passado com seus dias cinzentos e estava tão habituada ao frio e a chuva que não me dava conta do que o sol sempre foste tu...O unico que me foi aquecendo os dias de dores e iluminando a escuridão das noites frias...

 

Muitas vezes reclamaste minha falta de atenção para contigo. Sempre gostaste do meu jeito de escrever e sempre me acusaste de nunca o fazer para ti. Sei que respondia aquilo que te deixava mais tranquilo...não precisas de palavras pois sabes o que sinto...mas hoje sei que não.

 

Minha vida tomou um rumo triste e cinzento. As cores foram-se esbatecendo nos dias em que a dor não me largava. Sofri muitos revês, muitas noites de insonias, muitas manhãs em que a unica vontade era voltar a fechar os olhos e esquecer que existia... foram dias muito complicados, com muitas lagrimas, muitas desilusões e muitas dores fisicas e emocionais que quase me fizeram desistir de tudo...

 

Mas estiveste sempre presente, acreditando que o amanhã traria uma aurora mais bonita...mais serena e que o dia traria um pouco de paz. Sempre acreditaste na minha força em recuperar e em ter de volta a minha vida... Não me deixaste desistir de lutar e sempre me obrigaste a levantar para dar mais um passo em frente porque era mais a frente, que estava a minha vida a espera de eu voltar...

 

O Verão passou, o Outono morreu... O Inverno chegou e com ele o Natal com sua magia. Confesso que este ano não a senti ou simplesmente não permiti que ela tomasse conta do meu coração. Comprei os presentes tentando aguentar as dores mais um pouco...mais um pouquechinho...Estava tão cansada de tudo que resolvi que o mês de dezembro seria meu e não de medicos, tratamentos ou medicação...Libertei-me deles todos e tentei dedicar-me a epoca festiva que sempre amei...

 

O natal passou junto dos que amava e isso foi o presente mais bonito e mais precioso que poderia ter recebido. Estava confiante que o ano ingrato de 2009 estava no fim e com ele toda a minha tormenta...ansiava pelo novo ano para recomeçar ou melhor...para recuperar minha vida e deixar para trás os meses de dor... mas o ano acabou mal e começou pior...

 

Uma pneumonia atirou-me para a cama de um hospital e fez minha vida naufragar mais fundo ainda neste mar de angustia que não me deixa chegar a bom porto...

 

Mas sabes, apesar de estar presa a cama em vez de dar um pézinho de dansa, em vez de champanhe ter recebido varias garrafas de soro e antibioticos, em vez dos sorrisos, da alegria, das uvas passas, da musica ter tido apenas o silencio e a tristeza,apesar disso tudo, minha passagem de ano foi feliz... Foi feliz porque comigo estavam aqueles que realmente importam nesta minha vida e é por vocês que aqui estou, recuperando devagarinho mas confiante que a vida tem mil sorrisos ainda guardados para mim...porque estão comigo e porque vos amo muito.

 

Que 2010 seja um ano feliz para todos nos...

 

Fátima

 
 

Segredo de... Fátima às 16:49
| Comenta... | ver comentários (11)
Quarta-feira, 9 de Dezembro de 2009

poema

 

A manhã acordou vazia,

Descobriu toda a realidade

Despiu-me da fantasia.

Revelando a verdade

 

 

 

A tarde clareou meus sentidos

Aqueceu meu coração

 Gritou sonhos esquecidos

 Cantou uma antiga paixão

 

 

 

O passado fez-se presente

Abrindo todas as feridas

De um amor ausente

 Em mil emoções sentidas.

 

 

 

A noite de silêncio se envolveu

Abraçou as confidências

Meu peito adormeceu

Calou minhas vivências.

 

 

 

Juntos…tentando fazer poesia

Fátima, manos e a minha menina


Segredo de... Fátima às 14:29
| Comenta... | ver comentários (5)
Terça-feira, 3 de Novembro de 2009

...

 

 

O coração humano tem tesouros ocultos,
No segredo mantido,

No silêncio selado.....
Os pensamentos, as esperanças,
os sonhos, os prazeres.

Cujo charme se romperia se revelado...."

(Jane Eyre, 1943 )

 


Segredo de... Fátima às 11:10
| Comenta... | ver comentários (3)
Segunda-feira, 19 de Outubro de 2009

Ternura...

 

Com as estrelas que deixei cair
de minhas asas de borboleta-transparente,
pedi à minha fada-madrinha
que bordasse, com linhas do infinito,

uma noite somente para meu amor.
E com as flores que deixei cair
De minhas folhas de violeta amadurecida,
Pedi ao meu anjo-da-guarda

Que bordasse, com linhas de eternidade,
Um céu branco e lilás
para ser o dia da noite do meu amor.


Oswaldo Antônio Begiato

 


Segredo de... Fátima às 10:31
| Comenta... | ver comentários (1)
Quinta-feira, 8 de Outubro de 2009

Há dias assim...

 

Em que a manhã nos magoa os sentidos e chamamos a noite de volta para o esquecimento das emoções…
Em que as palavras no ferem os ouvidos toldando as horas em que as desejamos suaves como a brisa de um dia de Outono…
Em que a música nos trespassa a alma nas memórias esquecidas e que se tornam melodias ensurdecedoras que nos fazem perder o controlo da respiração….
Há dias assim…
Em que chamamos a nós a dor daquilo que não temos mas que desejamos com toda as forças do nosso ser…
Em que tudo nos rodeia, se transforma numa sombra que nos atormenta pela incapacidade de a viver sem medo…
Em que negamos aquilo que queremos, alimentando toda a esperança de um dia o conseguir…
Há dias assim…
Em que minha alma confunde sonho com a realidade e vive na corda fina das opções impossíveis…
Em que tudo o que tenho se torna pouco ou demais deixando-me perdida no vale das emoções contraditórias…
Em que tudo o que sinto se faz apenas um, para depois se desfazer em mil pedaços impossíveis de unir…
Há dias assim…
Em que eu não queria nada querendo tudo…
Em que nada sou apenas daquilo que sou…
Em que morro vivendo a vida que Deus me deu…
 
Fátima
 

Segredo de... Fátima às 14:50
| Comenta... | ver comentários (3)
Sábado, 3 de Outubro de 2009

Meu amor de papel...

 

 

 

Como uma criança que copia sua lição várias vezes para não esquecer, também eu escrevo meu amor no papel para lembrar cada sentimento, sentir cada emoção, lembrar cada lágrima, e chorar cada saudade…
Meu amor de papel…
Escrevo nas linhas simples as rimas que o meu coração recita baixinho em cada batimento, apressado, assustado ou simplesmente aquietado. Junto nas palavras todo o eco que grita do meu ser…ou todo o vazio que preenche minha alma…
Os dias passados são depositados delicadamente nas folhas amareladas de um Outono por esquecer e que ainda valsa nos sentimentos, rodopiando ao sabor da brisa, trazendo sonhos que ficaram presos num amor… de saudade…
Há letras escritas em pedacinhos de papel, que de tão pequenos transformam-se em estrelas brilhantes que iluminam minhas noites de insónias, trazendo ao pensamentos palavras escondidas na alma que anseiam soltarem-se na quietude da noite…
Minha alma de papel…
Algumas palavras são escritas num tempo errado em que o papel, húmido de lágrimas caídas, se recusa a guardar. O futuro usado no sentimento chorado é logo apagado pela borracha da desilusão… Não se pode escrever o amanhã…                                                                                       Na folha de minha vida, o amor que será, ainda fica por escrever…
O papel do meu amor presente é todo aquele em que cabe teu nome. Não importa o tamanho nem a textura, se nele couber todas as sensações e todos os meus sentidos. Só tem de ser um papel resistente, capaz de aguentar a força das lágrimas e das desilusões e suficientemente macio para acolher as palavras suaves de um beijo…
O meu amor de hoje pode ser escrito num papel de embrulho, com as cores de um por de sol, a cor quente da areia de uma praia ou com o azul do mar… pode ter o brilho do luar ou as sombras de uma noite estrelada… Pode até trazer um laço para o enfeitar, com um nó bem apertado para não deixar nada escapar, depois de eu deixar escrito nele todas as linhas do…
Meu amor presente…

 

«O nosso amor é de papel (...) e no papel há-de ficar, para sempre escrito nas minhas palavras. E se um dia se transformar em qualquer outra coisa, será sempre numa outra forma de amor, porque o papel vem das árvores, mas o amor vem do amor e nunca morre, mesmo depois de cortado, prensado e transformado, porque amor é como plantar uma semente e tu já plantaste a tua no meu coração.»
(Margarida Rebelo Pinto)

Fátima


Segredo de... Fátima às 16:17
| Comenta... | ver comentários (4)
Segunda-feira, 28 de Setembro de 2009

Uma noite de luar...

 

 

 

A casa estava adormecida e silenciosa. Tentava distrair-me com os segundos que passavam devagarinho nas horas projectadas no tecto do quarto, mas o sono não vinha…
Olhei para a noite através da janela e pareceu-me ver as estrelas a dançar. Moviam-se silenciosas numa valsa imaginada. Não resisti aos seus risinhos que soavam como pequenas campainhas aos meus ouvidos…
Levantei-me e segui o raio de luar que parecia um tapete, como num conto de fadas qualquer…
A noite estava magica. As estrelas pareciam crianças pulando e brincando. Riam-se e o som que se ouvia era uma doce melodia….
De repente já não era eu que ali estava mas sim uma miúda sardenta de cabelos compridos que esvoaçavam sempre que uma estrela mais atrevida rodopiava mais veloz…resisti a tentação de fazer uma trança…e esse movimento fez-me sorrir…sorrir de outros tempos…
Deixei-me levar pela estrela mais irrequieta… podia brincar, pular, dançar… corria por entre elas girando e sorrindo alegremente. Segui algumas delas, que atrevidas, lançaram-se num raio do luar, usando-o como um escorrega, mergulhando no mar. O mar abria seus braços e acolhia-nos sempre com muito cuidado, salpicando-nos de propósito fazendo com que o brilho das estrelas fosse ainda mais intenso… A lua benevolente sorriu ternamente, quando sacudi o cabelo fazendo mil gotas cair, orvalhando a noite serena… Parei junto dela o tempo de tomar fôlego para mais uma descida vertiginosa até ao mar que se abriam num abraço aconchegante e tão doce como o de uma mãe que espera acolher seu filho para o mimar….
Uma estrela mais medrosa pediu-me a mão e puxou-me para deslizamos pelo raio de luar…ouvi a lua murmurar: “que saudades de ti minha filha…”e tudo se iluminou a minha volta… Enquanto escorregava, sempre com a estrelinha segurando-me, vi o quanto a lua era magnifica, o quanto as estrelas se amavam umas as outras e talvez por isso apareçam sempre juntas e vi como o mar é majestoso…
Olhei para a terra e que bonita ela era…mas quando meus olhos se prenderam num rosto pálido, através de uma janela, o silencio  encheu-se de um gemido baixinho de dor…tão baixinho que a casa continuou adormecida…
A menina de sorriso alegre desapareceu, a descida vertiginosa tornou-se num regressar lento a realidade, as estrelas aquietaram-se de novo e a lua sorriu docemente apontando para a casa com um suave raio de luar…este iluminou suavemente o quarto e aquele rosto onde pequenos diamantes corriam em direcção a almofada molhada… estava na hora de voltar…
De voltar a realidade da dor…
 
Fátima
 

 


Segredo de... Fátima às 13:26
| Comenta... | ver comentários (3)
Sexta-feira, 25 de Setembro de 2009

Recado antigo...

Pelas portadas entreabertas, o sol brincou as escondidas. Um raio de sol suave e traquina, brincou em meu rosto, obrigando-me a despertar. Não quero Quero acordar... Quero ficar mais tempo no aconchego dos meus lençóis, quietinha... como se não houvesse mais nada além do abraço quente da sonolência.
Pensei por minutos que deveria ser tarde e que devia já estar pronta...que daqui a pouco iriam tocar a porta com o almoço (agora trazem-me o almoço a casa...um luxo que não é para todos... é o que dá ter uma mãe e uma irmã por perto e sempre preocupadas comigo!!!). Mas pensar em comida deixou-me agoniada. Tenho um batalhão de comprimidos a minha espera...
Não...Não mesmo... Ignorei o raio de sol teimoso que iluminava o quarto e fechei os olhos com mais força... Tentei pensar em coisas bonitas (esse sempre foi meu conselho quando a vida nos trama de alguma forma...) mas todas as coisas bonitas tinham acabado...Restava apenas as lembranças que apertaram meu peito numa saudade tão dorida que as lágrimas brotaram contra minha vontade...
Sol lá fora...chuva cá dentro...
Não queria mais dor. Levantei-me e arranjei-me como num dia normal em que teria de sair para trabalhar (há quanto tempo não trabalho?!!). Coloquei umas gotas do meu perfume preferido e sai quase vitoriosa para a sala. Essa pareceu-me muito mais luminosa e diferente do quarto de portadas sempre meia-fechadas ou meia-abertas, como no eterno dilema de La Palisse!!!
Peguei na minha agenda que ainda estava no mesmo sitio onde a tinha deixado há... tanto tempo... e sentei-me um pouco no sofá, tentando equilibrar-me ora numa nádega ora noutra, para aliviar a dor. Folheia devagar desde do ultimo dia em que tinha riscado as tarefas e compromissos cumpridos... folhei cada pagina lembrando cada reunião, as quais não pude ir mais que também não puderam ser adiadas...afinal, não há data prevista para eu voltar...
No dia 20, uma pequena anotação fez meu coração parar e um dor tremenda apertou meu peito... poucas palavras escritas numa letra miudinha...um recado só meu...«também amo-te muito, muito...».
Quando foram escritas, provocaram em mim, emoções que nenhuma palavra poderá alguma vez descrever...
Mas foram palavras ditas ao acaso de um sentimento estranho que nunca viveu de certezas e que por isso mesmo gravaram-se em meu peito antes de morrer num Outono esquecido...
Fechei a agenda, fechei a alma a dor, fechei os olhos e deixei de lutar contra a medicação que me puxava para a sonolência tão benevolente e acolhedora, onde nada fica a não ser o esquecimento de mim mesma...
 
Fátima

 


Segredo de... Fátima às 11:35
| Comenta... | ver comentários (5)
Quarta-feira, 23 de Setembro de 2009

Bodas de prata 08/09/2009

 

 

O tempo não pára e o mundo está sempre a mudar. Nos momentos em que estamos perto do precipício, encontramos alguém a quem nos agarrar, alguém que nos tira da solidão, e é aí que tudo recomeça e a felicidade sobressai-se.
Não chegou uma mulher com uma personalidade única, com uma beleza inigualável…
Nem um homem com carácter especial, digno de ser amigo de todos…
Foi preciso um sentimento que ambos começaram a viver, sentir, partilhar juntos… o amor.
Amor, esse que os guiou por longas estradas, com pequenas paragens, mas foi nessas paragens que provaram a paciência, o empenho e a dedicação. Temos o mundo cheio de pessoas a desistirem, a matarem os seus sonhos e darem-se como fracos perante o sentimento que existe dentro dos seus peitos.
Foi o vosso amor passado, presente e certamente o vosso amor futuro que nos mostrou que foram um caso diferente.
A maioria dos casais não resistem, não abdicam, não dedicam, e por tudo isso desistem, seguindo a vida por caminhos diferentes. Enquanto vocês, os dois, conseguiram mostrar a mais de meio mundo que as vossas almas só vivem uma com a outra.
Na vida, temos tendência a perder e a ganhar, a chorar e a sorrir, a sofrer e a ser feliz. Á vinte e cinco anos éramos trinta e oito. Agora somos muitos mais. A família cresceu e hoje têm mais pessoas a apoiar-vos, a querer-vos bem. Nas vossas vidas, nós estaremos sempre prontos para ajudar.
Como prova desse amor enorme, nasceu o fruto que vos uniu mais. Um filho pelo qual vocês sempre olharam, cuidaram, apoiaram e claro, o levaram pelo melhor caminho.
Hoje vocês sabem que por mais que um se perca no meio do escuro, haverá um outro a esticar a mão e a sorrir para iluminar o vosso caminho.
São vinte e cinco anos a saber lidar.
São vinte e cinco anos a saber acostumar.
São vinte e cinco anos a saber apoiar.
 São vinte e cinco anos a chorar e a rir.
São vinte e cinco anos de felicidade.
São vinte e cinco anos a amar.
Os meus parabéns por uma data tão significativa nas vossas vidas, isto é só mais uma das marcas que vocês irão deixar nos vossos caminhos. Cá vos esperamos nas bodas de ouro. Felicidades Fátima e Fernando.
Leticia
 

 

 

 

 


Segredo de... Fátima às 16:22
| Comenta... | ver comentários (3)
Segunda-feira, 3 de Agosto de 2009

...


Segredo de... Fátima às 19:21
| Comenta... | ver comentários (3)
Quarta-feira, 29 de Julho de 2009

Papoila do meu coração...


Segredo de... Fátima às 16:42
| Comenta... | ver comentários (1)
Domingo, 21 de Junho de 2009

Vives em Mim


Tu vives em meu pensamento...constantemente...e nas mais variadas formas...quando me fecho na minha solidão, eu falo contigo...palavras silenciosas...mas que me fazem bem soltar...nesse momento eu não estou só...tua presença enche o meu espaço...encontro-te no eco vazio dos meus passos. o tempo pára no som calado de tua voz e queima a ponta dos meus dedos, nos gestos que morrem, cinzentos.

 


Sigo os trilhos que um dia gravaste em minha alma, e neles encontro a ausência do teu abraço... renasço no raio de sol , brilhante, do teu sorriso imaginado
procuro-te ...procuro-te nas palavras ditas nas rimas de uma poesia, nos versos tristes de uma saudade...encontro-te na doçura do perfume das rosas nas horas incertas em que me perco em mim e perdendo-me , encontro-te...

 

Sei que estás nas doçura dos dias de primavera, no calor do verão...mas também nos tons de saudade que o autono pinta, e no frio com que o inverno nos desperta para a realidade...estas comigo na manhã que nasce, no dia que adormece calmo
no mar que luta e grita
a saudade que sente da tempestade
que lhe revolta os sentidos furiosos de paixão
sei que somos imortais
porque a nossa vida é muito mais
que o que pode sentir um simples coração

 

***

 

Texto De Fatima Castro e Gonçalo de Assis


Segredo de... Fátima às 17:57
| Comenta... | ver comentários (2)
Segunda-feira, 8 de Junho de 2009

Aprendi...

 

Aprendi a confiar quando todas as evidencias apontavam para o contrario… Aprendi a fechar os olhos quando tudo era claro…Aprendi a ouvir o silencio mesmo quando os gritos ecoavam em meus ouvidos…Aprendi tudo o que havia para aprender…

Fuigi dos caminhos certos para trilhar aqueles que são cheios de pedras. Contornei todos os obstaculos mas nunca consegui ir além deles… Dei passos pequenos para não deixar nada para trás e esqueci  que podia dar um bem maior pois mãos estendidas não faltaram… Teria chegado mais cedo…Penado menos… Mas chegaria ao mesmo ponto…

Perdi-me muitas vezes nas palavras ditas em silencio quando poderia ter encontrado a paz naquelas que eram gritadas bem alto. Achei ser capaz de entender aquilo que se cala e acabei por não perceber nada… Os silencios são apenas nossos e de mais ninguém… Aprendi que o silencio nos outros, é apenas ausencia e nada mais…

Vesti-me de tempo, de paciencia, de carinho e de certezas… Mas a verdade é que apenas trazia na alma minha angustia, meu medo, meu vazio… Enfeitei-me de cores suaves, pintei meus dedos com palavras soltas, meus olhos com esperanças vãs e meu coração… meu coração, pintei-o de mil ilusões contendo todas elas pequenas verdades que não quis ver…

Chorei, sonhei, perdi, sorri…e sofri…

Mas voltaria a fazer o caminho outra vez porque nele aprendi…

A confiar, a amar, a acreditar, a sonhar…aprendi tudo…menos como viver…

Fátima

 

 


Segredo de... Fátima às 11:25
| Comenta... | ver comentários (1)
Quinta-feira, 4 de Junho de 2009

Adeus...

 

Ainda eras um jovem quando te perdeste de amores por ela. Ela mostrou-te caminhos faceis de seguir, cheios de sonhos…um caminho de fuga a vida…

Seduziu teu coração e roubou-te a alma e só á ela, querias como companhia. Deixaste de lado todos aqueles que te amavam de verdade e quanto mais te queriam de volta, mais tu fugias para junto dela…

Eu sei que foi um tempo de luta, de revolta… Foram muitos dias de sofrimento… E mesmo quando a beijavas e á ela te entregavas, nunca em momento algum perdeste teu ar de menino, o respeito por aqueles que te queriam libertar e arrancar-te aos braços fortes desse amor… Nunca deixaste de ser o amigo, o filho, o pai e o marido…

Não foi facil largar esse amor de tantos anos, não foi facil travar a luta que te afastou dela e muito menos foi facil conseguir o perdão de todos aqueles tu tinhas ferido em nome dela. Mas venceste e finalmente abraçaste a vida… ou talvez não…

Apesar de a teres eliminado dos teus dias e das tuas noites, ela sempre esteve entranhada no teu corpo… viveu contigo em cada segundo… porque uma vez que a amamos, mesmo longe dela, ela continua a roer-nos por dentro…

Hoje, roubou-te o sorriso, fechou teus olhos e riu-se na cara de todos os que te amam.

Se em algum lugar existe este Deus á quem recorremos sempre que a vida nos maltrata, então peço que me ouça mais uma vez… que te tome nos seus braços e te embale como se  embala um menino perdido… Que  possa eliminar de tua alma a dor desse amor maldito que foi a DROGA e que possas finalmente descansar em paz…

Até sempre meu amigo…

Fátima

 


Segredo de... Fátima às 10:12
| Comenta... | ver comentários (1)
Quarta-feira, 6 de Maio de 2009

Lágrima...

Uma lágrima cai…desliza suavemente…

Permanece um segundo no infinito…

Parada entre o tempo da saudade…

 

Nasceu de uma dor pequena…

Feita de emoções perdidas…

Vem de um passado esquecido…

 

Uma lágrima percorre a alma…

Mantém-se suspensa na ilusão…

Entre desaguar ou ficar…

 

Fátima

 


Segredo de... Fátima às 11:46
| Comenta... | ver comentários (1)
Domingo, 3 de Maio de 2009

Mãe...

 
Escrevi varias palavras nas folhas em branco....
Tentei fazer uma poesia...
Uma que tivesse rimas faceis de entender...
Apaguei tudo e de novo voltei a escrever...
 
É tão dificil encontrar as palavras certas para dizer: amo-te!
Não encontro nenhuma que possa conter o infinito...
Ou até mesmo todas as cores do teu jardim...
Nenhuma tem teu abraço....
 
Tentei escrever em varias linguas...
Mas todas diziam o mesmo...
Entendi que não há outro jeito...
De te dizer o que quero...
 
Então peguei num vaso colorido...
Dei-te um beijo no rosto corado...
Disse-te baixinho: que tenhas um dia feliz mãe...
 
Porque não é  apenas hoje o teu dia...
Mas sim todos...desde que me deste vida...
E será muito para além dela...
 
Porque não te amo só neste Domingo de sol...
Mas em todos os dias de lagrimas...e de sorrisos...
Em todos os conselhos e broncas...
 
A ti minha mãe, todo o meu amor e respeito, hoje e sempre...
Amo-te mãe...
 
Fátima

 


Segredo de... Fátima às 20:56
| Comenta... | ver comentários (1)
Sábado, 18 de Abril de 2009

Pedaços...

 

A dor fez a alma em pedaços...
Não os tingiu de negro, mas deu-lhes a cor da vida...
Vida que segue seu rumo na corrente de um rio...
Deixo-os naveguar nas aguas da esperança...
Esperança de um dia voltar... Curada de mim mesma...
 
Fátima

 


Segredo de... Fátima às 21:57
| Comenta... | ver comentários (4)
Segunda-feira, 13 de Abril de 2009

Parabéns mãe...

 

 
 
“Os teus braços estão sempre abertos quando preciso de um abraço. O teu coração sabe compreender quando preciso de uma amiga. Os teus olhos sensíveis endurecem-se quando preciso uma lição. A tua força e teu amor dirigiram-me pela vida, dando-me as asas que precisava para voar.”
 
Obrigada mãe por tudo aquilo que és para mim. Pelo teu amor, tua paciência e perdoa-me pelas lágrimas.
Que este dia se repita por muitos mais anos...
 
Amo-te mãe...Parabéns
 
Fátima

   


Segredo de... Fátima às 20:40
| Comenta... | ver comentários (1)
Quinta-feira, 26 de Março de 2009

Poema da ausência

 

Eu deixarei que morra em mim o desejo
de amar os teus olhos que são doces
Porque nada te poderei dar senão a mágoa
de me veres eternamente exausto
No entanto a tua presença é qualquer coisa
como a luz e a vida

E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto
e em minha voz a tua voz
Não te quero ter porque
em meu ser está tudo terminado.
Quero só que surjas em mim
como a fé nos desesperados

Para que eu possa levar uma gota de orvalho
nesta terra amaldiçoada
Que ficou sobre a minha carne
como uma nódoa do passado.
Eu deixarei ... tu irás e encostarás
a tua face em outra face

Teus dedos enlaçarão outros dedos
e tu desabrocharás para a madrugada
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu,
porque eu fui o grande íntimo da noite
Porque eu encostei a minha face
na face da noite e ouvi a tua fala amorosa

Porque meus dedos enlaçaram os dedos
da névoa suspensos no espaço
E eu trouxe até mim a misteriosa essência
do teu abandono desordenado.
Eu ficarei só
como os veleiros nos portos silenciosos

Mas eu te possuirei mais que ninguém
porque poderei partir
E todas as lamentações do mar,
do vento, do céu, das aves, das estrelas
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente,
a tua voz serenizada.

 

AD

 


Segredo de... Fátima às 15:04
| Comenta... | ver comentários (2)
Terça-feira, 17 de Março de 2009

Sinto falta...

Sinto falta daquilo que um dia eu fui... Sinto falta dos sonhos que me embalaram a alma. Dos sorrisos tontos que nascem nos lábios, simplesmente porque a memoria trouxe de volta um instante cheio de magia….

 

Sinto falta da doçura de um beijo trocado em segredo, do toque suave de tua alma na minha, na força com que teu jeito me arrastou e me fez sentir de novo viva… Das horas em que o mundo parecia não mais existir…porque só tu, eras meu mundo…

 

Sinto faltas das palavras que foram ditas… Naquelas que me fizeram sonhar, querer e amar… Dos silêncios em que o coração parecia entender a ausência imposta ou desejada…já não sei…Dos risos que despertaram nas mais loucas confusões…

 

Sinto falta de uma ilusão que me fez voar por caminhos desconhecidos, por retalhos de uma vida que poderia ter sido…e morreu no sonho em cada novo amanhecer… Da fantasia e das historias de encantar onde podia ser quem eu quisesse…até ser aquilo que nunca fui… a dama do teu coração…

 

Sinto falta das promessas nunca feitas em que um dia tudo seria diferente… Das horas em que fui capaz de soltar as palavras mais doces que alguma vez meus lábios soltaram…Das coisas impossíveis que consegui…apenas por um segundo aqui…contigo…

 

Sinto falta simplesmente de amar como amei…Da entrega inconsequente…

 

Sinto falta de ser aquela alma aberta, onde deixava todos os recantos iluminados para que nada fosse escondido… para que cada caminho pudesse ser trilhado sem medo do desconhecido… Ser perfeita nesta imperfeição, que é ser eu…apenas eu…

 

Sinto falta de tantas coisas que na verdade nunca foram minhas…

 

Fátima

 


Segredo de... Fátima às 08:49
| Comenta... | ver comentários (3)
Quinta-feira, 5 de Março de 2009

Uma prece...

Há dias em que me entras pela alma adentro e não sei como fugir de tua presença. Percorres cada caminho feito de recantos só meus e que não dou a conhecer a ninguém. Eu sei que sempre foste parte de mim…ainda que negue muitas vezes tua existência. Sei que me conheces de cor e que sabes que teu lugar em meu coração é a luz que me guia por esta vida fora…

Muitas vezes me perguntam por ti e eu apenas respondo que não sei…ou talvez sim…ou talvez não… Sempre foi tão fácil ignorar-te quando tudo está bem. E se algo corre mal, também não é difícil colocar-te as culpas… Recusar tua presença em mim foi sempre um jeito de me perdoar os erros. Não tendo á quem culpar, aprendo a lidar com eles…

Muitas vezes me senti magoada, ignorada e perdida quando saía a tua procura e não te encontrava… Muitas vezes chorei de dor por perder alguém, culpando-te só porque tu não estavas aqui para me ouvir… Rejeitei-te tantas vezes… Houve dias em que eu olhando o céu, te acusei de mil maldades. Vejo o mundo ruir a minha volta e quando te pergunto porquê…a resposta é simplesmente o silêncio que ecoa em minha alma…

Mas eu sei que tu estás aqui…bem dentro de mim, e em tudo o que me rodeia. Sei que a cada instante me acolhas em teu abraço e me embalas as dores. Também sei que nunca me ignoraste. Mas eu não soube ver nem entender os sinais que foste semeando a minha frente…muitas vezes fiquei cega pela dor quando na verdade era teu amor que me fazia aguenta-la.

Hoje, alguém te trouxe a mim, de um jeito especial e diferente… Alguém soube acordar as memórias de um passado esquecido e na confusão dos sentidos abriu algumas portas que eu teimo em manter fechadas… Nas palavras pintadas de um amigo, voltei a sentir-te…

Talvez por isso, hoje sentei aqui e resolvi mais uma vezes te escrever…

Não sei rezar e tu sabes isso… . Mas neste meu jeito confuso de te dizer as coisas, ouve por favor minha prece para que esta noite, deixes teu olhar repousar em quem de ti precisa, que teu sorriso ilumine os lábios de quem sofre e que teu abraço aconchega os medos de quem vê a luz da vida se apagar…

Porque sem ti não existe esperança…

Dá força á quem dela precisa para enfrentar mais um dia, amor á quem traz no coração sentimentos negros… Mostra os caminhos certos iluminando a escuridão á quem não tem fé… Transforma em sonhos todos os pesadelos das consciências pesadas…

Porque sem ti não existe perdão…

E a mim, ajuda-me a não desistir de ti…

Fátima


Segredo de... Fátima às 23:46
| Comenta... | ver comentários (1)
Quinta-feira, 26 de Fevereiro de 2009

Fada azul...

 -Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa !!!!

Um grito desesperado e ferido assusta e comove a noite que desperta e apressadamente chama a D. Lua a ir ver de onde partiu tanta dor...

D.Lua despida do seu manto de estrelas sai desajeitada, com brilho aos pulos a investigar

Em um canto da distante Sky Blue, ela avistou a pequena Fada Azul... quieta, cansada... deitada na pedra da solidão, já não mais gritava, apenas gemia baixinho feito animal acuado e ferido...

- O que tens pequenina?

Sussurra D.Lua movida de compaixão.

...

Silêncio e lágrimas foi a resposta da fadinha triste.

D.Lua devagarinho aproximou-se e pode ver o coração dela e o que viu a fez chorar...

O coração da Fada era uma só ferida aberta e sangrava.

Era apenas uma metade e a cada gota que escorria, a vida dela ia-se calado em dores.

- Oh! pequenina... onde está a outra metade do teu coração?

- Nas mãos do Menino de Aço...

- Porque fadinha?

- Porque a metade do meu coração é dele e a outra também, do coração dele nasci , nasci para amá-lo, meu sonho último e derradeiro é fazê-lo feliz...

Somos os dois apenas um, juntos somos amor.

Os olhos dela iam apagando o brilho... algo lá dentro desvanecia.

- Sabe D.Lua dizem que quando os pássaros morrem caem do céu, mas... e a fada Azul quando morre, onde cai?

- Oh!... não sei pequenina, juro que não sei...

Geme D.Lua dolorida.

- Mas... o que posso fazer pra te ajudar?

tentando respirar, a fada suspirou e tremeu

- Pede a Deus pra Ele trazer meu menino de Aço de volta, sem ele não tenho céu a cair..., não posso voar. Necessito de semear de todas as emoções do coração dele no meu.

Pode fazer isso D.Lua?

...

Calada D.Lua tocou o rostinho transtornado dela ternamente e apressada saiu universo afora, talvez no meio do caminho encontrasse o Menino de Aço e pudesse levá-lo de volta a Fada Azul...

Pensando assim, subia cada vez mais alto e distante, deixando para trás um rastro de escuridão.

E encolhida no frio... continuou a pequenina Fada chorando baixinho, respirando esperança.

Para quem ama o impossível não existe, assim... mais um milagre pode acontecer...

Afinal:

"Na vida... não há pontos finais."

   

(Texto retirado da net – desconheço o autor)

 

 


Segredo de... Fátima às 09:09
| Comenta...
Segunda-feira, 2 de Fevereiro de 2009

Porquê?...

 

Não sei porque me afundo nesta dor, nem sei porque teimo em guarda-la.

De onde vem esta tristeza que me faz gostar dos dias cinzentos?

Porque sinto a chuva em mim?

 

Gosto do mar bravio, dos vendavais e dos temporais…

A dor entra em mim e instala-se, enchendo-se de dias frios,

de ausências e de partidas…

Como um rio lamacento que transborda…

Corro por aí…sem destino…em desatino…

 

Porque me dói tanto? Finjo estar longe, isenta de sentimentos, quando na verdade, apenas naufrago cada vez mais em sentidos tão contrários que me perco de mim mesma…

 

Não reconheço quem fui, apenas aquilo que não sou…e sou tão pouco

 

Fátima

 


Segredo de... Fátima às 17:09
| Comenta... | ver comentários (3)
Sexta-feira, 2 de Janeiro de 2009

Sejam felizes...

Meus desejos para 2009 não são diferentes das outras pessoas…por isso desejo a todos que seja um ano repleto de sorrisos. Quero a paz para o mundo, a saude para quem dela precisa e o amor para quem não o tem e… claro… que aqueles que tem tudo o que precisam para serem felizes, que o saibam preservar.

Para mim não vou desejar saude, pois seria missão impossivel, mas sim a força necessaria para não a deixar piorar… Não vou jurar que vou melhorar mas sim que não vou abdicar de lutar para me manter estavel…

Não vou pedir mais sorrisos mas sim merecer os que, todos os dias mo dão. Não vou procurar ser amada mas sim fazer com quem me ame, seja feliz por isso mesmo. Vou fazer crescer o carinho que me tem em vez de ir em busca de ilusões que duram o tempo de um olhar. Vou manter a esperança e ignorar aquela que nos incendeia a alma para logo se apagar com a desilusão…

Não vou querer ganhar mais nem engordar a conta bancaria mas sim pedir a capacidade de saber gerir o que tenho com sabedoria e sagacidade… Não vou querer o reconhecimento no meu trabalho  mas sim a inteligencia de o  fazer  dando o meu melhor…

Não vou pedir nada pois nada nos é dado de graça… Vou lutar por aquilo em que acredito… Lutar para que o novo ano seja feito de 365 dias de esperança, em que cada um tenha 12 horas de luz e outras tantas de céu estrelado… e que cada hora tenha 60 minutos de sorriso, poesia, emoção e sonhos… e que cada minuto não passe sem se encher de 60 segundos de vida…

Sim… é isso… vida…é a única coisa que peço…

Sorriem…sejam felizes…bom ano para todos…e para mim…

Fátima

 


Segredo de... Fátima às 20:05
| Comenta... | ver comentários (4)
Domingo, 30 de Novembro de 2008

Renascer...

 

Não sei há quanto tempo te procuro, nem de quantas vidas te conheço. Impossivel seria pensar que sempre chamei por ti e que em  vozes de silencio me perdi. Como poderia acreditar em tantas horas vazias nas quais te inventei para tornar maior minha solidão?!

Eu sei que te encontrei nas noites escuras em que o luar brincava nas aguas do mar…no por do sol que não sendo de ninguém não deixou de ser apenas meu… Tudo era aquilo que eu queria porque em tudo te reconhecia… e  te perdia…

Soube no primeiro instante que te tinha encontrado e que de nada valia minha corrida incessante pela vida. Parei  e deixei que fosses tu a guiar-me nos novos caminhos onde eu acreditava, estariam os sorrisos, a esperança e as palavras cheias de sentidos…

Tarde demais percebi que te encontrando me perdia…e perdendo-me, perdi-me de ti outra vez. Não sei se mais vidas me serão concedidas e se nelas te encontrarei novamente,  mas hoje me despeço desse sentimento que me fez naufragar…

…e de novo renasco das cinzas…

Fátima

 


Segredo de... Fátima às 16:42
| Comenta... | ver comentários (4)
Terça-feira, 11 de Novembro de 2008

Sabias?...

 

Sabias que quando me prendes em teus braços, o relógio parece abrandar no seu tic-tac infinito? E que quanto mais me apertas contra teu peito, o tempo pára de correr, ficando suspenso na tua respiração que me acaricia o pescoço, fazendo-me arrepiar até a alma?

 

Não deves saber. Se soubesses, prendias-me no teu abraço e de lá nunca mais me deixarias sair. Irias sentir cada batida do meu coração contra teu peito e quando desses conta, já o teu teria ao mesmo compasso. Serias minha armadura contra as dores do mundo e em tua pele, todos os meus sentidos seriam tatuados…

 

Sabias que quando me beijas, quando tua língua obriga meus lábios a entreabrirem-se para lhe dar passagem e quando ela, ousada e faminta, se enrosca na minha e rodopia num bailado de sensações intensas, sinto o sangue correr veloz em meu corpo, fazendo-me corar de prazer? Que meus seios enrijecem, ficando duros e hirtos, num convite silencioso a tua boca?

 

Também não deves saber. Se assim fosse, teus lábios ficariam sempre colados aos meus, tua língua nunca mais deixaria a minha tão só, guardando apenas a saudade de tua doçura. Tuas mãos envolveriam meus seios numa doce carícia, aconchegando-os, brincando e cedendo ao pedido que silenciosamente te fazem… Beijarias cada mamilo para lhes aliviar toda a dor que é querer sentir-te…

 

E por acaso, sabias que sempre que me fazes tua, quando entras em mim, castigando-me o corpo com a intensidade do teu desejo, quando me fazes gemer de prazer e de dor sempre que ameaças sair de mim, quando te mexes com a força da paixão e me levas até ao limiar da loucura, todos meus sentidos e todo o meu corpo, explodem numa miríade de sensações incríveis que faz parar meu coração alguns segundos?

 

Isso sim… Isso deves saber. Pois tens prazer em me fazer gritar sempre que te afastas um pouco e de novo entras mais forte, mais fundo. Sentes meu coração acelerar sempre que me envolves com o peso do teu corpo. Deves saber sim, pois ficam gravadas em tuas costas as marcas do prazer intenso que me das sempre que em mim te fundes…

 

Sabes, não sabes?

 

Fátima

 

 


Segredo de... Fátima às 11:36
| Comenta... | ver comentários (1)
Terça-feira, 4 de Novembro de 2008

Na hora da despedida...

Quando era miúda, amava o mar tanto como hoje, mas era mais atrevida e atirava-me em suas águas sem pensar e sem qualquer medo. Hoje, e depois de alguns sustos, o respeito é grande e o atrevimento vai apenas até molhar os pés…

 

Morrer afogada, é para mim a pior maneira de se morrer…não que haja uma boa maneira para se passar para o outro lado, mas afogamento? Deve ser terrível… Em toda a minha vida, provei dessa sensação duas ou três vez. Nada agradável…e marca para sempre. Trago esse medo e os momentos de aflição gravados na alma e na memória.

 

E assim aprendi que agua?! Só mesmo na minha banheira. Mas eu não tenho banheira. Tenho cabina de chuveiro e hidromassagem. Aí, podia até hoje garantir que não morria de certeza…pelo menos afogada!!  Mas Deus mostra-nos caminhos diferentes e que para morrer, basta mesmo é estar viva!!

 

Não sei se por castigo por algo que tenha feito, ou simplesmente porque precisava sentir o quanto a vida é importante, está manhã, tomando meu chuveiro, sem saber como, respirei agua e passei de novo, pela aflição de morrer afogada! A água quente entrou para meus pulmões e impediu a passagem do ar…

 

Enquanto tentava desesperadamente respirar, meu pensamento viajou por mil situações, primeiro aquelas que me poderiam salvar, e que fui descobrindo, serem impossíveis, depois para as despedidas de quem mais amava… Pensei no meu filho, longe de mim… Queria dar-lhe um beijo e dizer-lhe que o amo…

 

Não sei precisar o tempo que estive assim, sufocando com a água que eu sentia sempre que me esforçava para encher meus pulmões de ar. Não sei quantos pensamentos mais invadiram minha mente… Mas sei que não podia perder a calma e que queria viver… Então com a calma possível naquela situação, fui respirando devagar, e finalmente senti meus pulmões encherem-se de ar…

 

Mais uma vez, descubro a beleza da vida e do quanto ela ainda tem para me dar. Percebo que todos os dias são dias de dizer amo-te… que devo matar a saudade de quem amo, em vez de a guardar no coração a espera que volte… se não me ligar, então ligo eu…

 

Na hora da despedida, descobri que era hora de viver…

 

Fátima

 


Segredo de... Fátima às 12:11
| Comenta... | ver comentários (1)
Segunda-feira, 27 de Outubro de 2008

Sinto-me perdida...

 

Não sei ao certo aquilo que acontece em mim.

Não encontro o caminho certo para definir minha alma.

Existe uma teia de sentidos que não consigo entender.

Quanto mais penso ou tento analisar o que me acontece,

mais me perco nesses caminhos insondáveis do coração…

 

Sou feliz…

Feliz por sentir, por sonhar, por desejar e por tanto querer.

Os dias tem as cores do Outono que tanto gosto,

com o sol mostrando ainda que o verão não é passado.

Tenho sorrisos que nascem nos lábios como uma menina

que recebe uma boneca tão desejada…

Tenho a alma leve como uma folha que baila ao sabor do vento…

 

Mas não acredito em felicidade.

E cada dia tem o tom cinzento das nuvens.

O sol que brilha nem sempre chega para aquecer as mãos,

quanto mais o coração.

Os pensamentos tem o som das melodias de outrora,

antigas, cheias de uma nostalgia tão velha quanto o tempo.

E a alma enche-se de uma saudade tão grande como o vazio que a habita…

 

Não sei ao certo quem sou…

se raio de sol num sorriso, se chuva miudinha nas lágrimas que caiem…

Talvez seja isso tudo ao mesmo tempo…

Uma eterna insatisfeita ou simplesmente perco-me nos pensamentos felizes, misturando-os com alguma dor por entender…

 

Sinto-me perdida…

nas emoções que vivem em mim,

nos pensamentos que me embalem na quietude de um mar calmo

e nas sensações tumultuosas que me provocam…

 

Sinto-me perdida…em mim… de mim…

 

Fátima

 


Segredo de... Fátima às 11:42
| Comenta... | ver comentários (2)
Sexta-feira, 17 de Outubro de 2008

Em segredo...

 

Em segredo me dispo das palavras que atormentam minha alma.
Espalho-as nas folhas brancas de uma vida que é a minha.
Faço delas emoções sentidas ao acaso das horas
Sensações suaves em minha alma…

Em segredo me revelo tal como sou… alma mar…alma fogo!
Sorrisos e lágrimas, alegrias e dores, sonhos e realidade.
Tempestades que nascem do nada …
E paz de uma alma tranquila…

Em segredo me dou…e em segredo me reencontro…
Não sei quem sou e sou tudo aquilo que sou.
Difícil de entender? Mais difícil é definir…
Sou eu apenas…em segredo…

 

Fátima

 


Segredo de... Fátima às 19:03
| Comenta... | ver comentários (1)

.mais sobre mim

.Leva-me contigo...


fg.jpg


.Segredos recentes...

. Don´t leave me...

. Cabreiro...Junto ao rio.....

. Corando...

. Para as mulheres que faze...

. Timidez...

. ...

. Quantas vezes...

. Beijo teu...

. Imperfeita...

. Saudade...

. Raio de sol...

. Imperfeições...

. Meu arco-íris...

. For you...

. Meu despertar...

. Adeus mano...

. ...

. Porque hoje é dia dos nam...

. Meu Domingo...

. Lágrimas de Seda!

. Outono...alma minha!

. Quem me dera...

. Apenas um sonho...

. Fada...

. Deus, cuida de mim...

. Meu Deus

. Devagarinho...

. Nada como o tempo...

. Homenagem...

. Quero acreditar...

. Obrigada...

. Dor não...

. Medo...

. Voltei...

. Que seja um ano feliz...

. poema

. ...

. Ternura...

. Há dias assim...

. Meu amor de papel...

. Uma noite de luar...

. Recado antigo...

. Bodas de prata 08/09/2009

. ...

. Papoila do meu coração...

. Vives em Mim

. Aprendi...

. Adeus...

. Lágrima...

. Mãe...

.Escreve-me...


.Segredos do passado...

. Julho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Novembro 2008

. Outubro 2008